Cegos de Liberdade

Autor: Claudson dos Santos Monteiro

liberdade

A liberdade no literal significa agir conforme a sua vontade, conforme sua natureza, cogitando com que o homem aja em sua totalidade, desde de que a mesma não prejudique outrem.

livro Ensaio Sobre a Cegueira

Podemos fazer uma linha de pensamento, sobre a liberdade, pegando como base o livro/filme “Ensaio Sobre a Cegueira” do José Saramago, que aborda a questão de liberdade de uma maneira peculiar.

Ensaio sobre a cegueira

Esse filme/livro conta a história de pessoas que ficam cegas aleatoriamente, dando a entender que um tipo de doença contagiosa. A cegueira possui uma cor branca, descrita como mar de leite que afeta a população repentinamente. Esses cegos são levados à uma quarentena para viverem em uma realidade precária, uma terra somente de cegos.

Escritor português José Saramago

Qual é a crítica que surge nessa história?

O livro/filme deixa bem claro a mensagem simples a ser transmitida: “o ser humano tem uma natureza animalesca e bárbara”. Ao serem colocados na situação de cegos, o autor está renunciando aos poucos o senso moral e cultural dos personagens, chegando até mesmo na bestialidade. Cenas de assédio, agressão, estupro, suicídio, assassinato começam a surgir com mais frequência até o final do filme, mostrando a precariedade em que eles começaram a viver.

Agora, pelo contrário, ei-lo que se encontrava mergulhado numa brancura tão luminosa, tão total, que devorava, mais do que absorvia, não só as cores, mas as próprias coisas e seres, tomando-os, por essa maneira, duplamente invisíveis..” – Ensaio Sobre a Cegueira

Liberdade que cega

O poder de fazerem o que quisessem sem serem punidos é o que colocou o senso moral dos personagens em jogo. A “liberdade” que eles adquiriram nessa terra sem lei de assediar uma mulher sem que niguem perceba por exemplo – como no caso do ladrão que começa a abusar de uma mulher de oculos – setores da quarentena impondo estupro coletivo em troca de comida, e entre outros, foi a promissora de várias cenas repugnantes. Quando esse tipo de “liberdade” interfere em outra pessoa, está de certa forma anulando a liberdade que o outro possui, como citado no conceito inicial  de que a liberdade só existe de fato quando a mesma não interfira ou prejudique alguém.

            Quando os personagens são expostos a cegueira, eles tentam seguir a vida de maneira natural porém aos poucos eles começam a enxergar que nada adianta, pois os demais já estavam “cegos de liberdade”. Mesmo querendo comer todos os dias, haviam cegos negando comida em troca de mulheres, abidicando da liberdade que elas tinham sobre o corpo e a liberdade de se alimentar. “Eu tenho uma arma eu sou livre para ter quantas mulheres eu quiser” é uma frase do líder dos estupradores. Levando em consideração que na sociedade tem pessoas “cegas de liberdade” por ter um poderio militar muito grande, ou porque tem comida e as outras não, tem dinheiro e por isso é livre para fazer o que quiser, conseguimos elaborar a idéia que esse livro/filme retrata os seres mais repugnantes da sociedade de uma maneira muito simples. Todos eles estão cegos de poder, cegos nas suas ações, cegos de liberdade.